Dez conselhos para evitar um golpe de calor ao volante
Quer evitar problemas com o calor? Siga estes conselhos

Dicas & sugestões: 10 conselhos para condutores eficientes…

By on 18 Março, 2024

Há muito que os preços dos combustíveis estão elevados de tal forma que, se ainda não olhou para a esta forma de fazer um desconto… a si próprio, está na hora. Veja quais são 10 regras de ouro para condutores eficientes, claro que estas regras são para motores de combustão, bem entendido…

1 – Mantenha uma velocidade constante em estrada ou auto-estrada, e tenha consciência de tudo o que for acima dos 90 km/h, a cada cerca de 2 km/h de aumento na velocidade isso significa um aumento também de 2% no consumo de combustível. Obviamente que isto não é igual para todos os carros, mesmo só os com combustíveis de gasolina ou diesel, mas dá para ficar com uma ideia. Usar o ‘cruise control’ é uma excelente ideia e rodar o mais possível com consistência é o ideal para não alterar muito os consumos.

Mas tenha atenção que o cruise control, em terreno plano, permite maior eficiência na condução, mas nas subidas, nem por isso.

2 – Rode ao máximo, em qualquer circunstância, na velocidade ‘certa’ e com a mudança indicada para a velocidade e o embalo que o seu carro leva. As rotações do motor (no caso dos motores de combustão, claro) não devem ter grandes oscilações, e tem que sentir sempre que o carro não está em esforço, ou a ‘morrer’, o pisar do acelerador deve ser ajustado ao que o carro ‘pede’, sem o mínimo de excesso para ‘cima’ nem deve deixar as rotações caírem, porque com o esforço de ‘recuperar’ vai consumir mais combustível.

Os carros a diesel têm a sua faixa de utilização ótima entre as 1500 e as 3000 rpm, enquanto os a gasolina, turbo, entre as 2000 e as 3500 rpm, zonas em que as faixas de utilização atingem o binário máximo, e em que o motor faz menos esforço.

O ideal é ter no seu carro o mostrador do consumo instantâneo e ir aprendendo como o carro lhe indica que está a consumir menos. Se fizer percursos semelhantes todos os dias, meta o mostrador de consumo a ‘zero’ e veja se consegue sempre bater o recorde de consumo médio para aquele percurso. Vale a pena. Lembre-se sempre que a pressa é a grande inimiga do baixo consumo.

3 – Dando como exemplo uma estrada que por vezes tem tráfego intenso, e onde pode ter que parar ou abrandar muito várias vezes, rode o mais possível a um ritmo fixo, sem grandes oscilações e não se concentre no carro à sua frente, à espera que este acenda os ‘stops’ para fazer o mesmo. Se olhar para a frente, quando os ‘stops’ dos carros mais à frente começarem a acender, não trave, tire o pé do acelerador, com a mudança engatada, e deixe o carro ir parando sozinho: não gasta travões e está a consumir zero. quando tiver mesmo que travar, já precisará de travar muito menos. Poupou combustível e travões…

4 – Como referimos antes, não trave desnecessariamente. Não ande demasiado perto do carro à sua frente, olhe mais para a frente para ver o que se está a passar e para antecipar a travagem basta tirar o pé do acelerador. Não vá a uma velocidade alta até ao momento e que tem mesmo de travar. Tire o pé bem antes e deixe o carro rolar engatado. Na maioria das vezes, só vai precisar de encostar o pé no travão, quase sem esforço.

Nunca se esqueça que o travão, trava o carro muito mais rapidamente, mas a inércia se tirar o pé do acelerador vai permitir que o carro pare sozinho.

5 – Evite ao máximo o tráfego intenso, especialmente para arranca pois isso aumenta o consumo de combustível entre 2 e 10%. Se faz muitas vezes percursos com muito para arranca, há uma solução perfeita. Se não puder ter um carro elétrico, ou um híbrido plug-in, somente um híbrido faz maravilhas no consumo no para arranca. Se não tem, estude os momentos em que o trânsito é maior e menor. Por vezes antecipar ou adiar a sua saída de casa fazem maravilhas no consumo.

6 – Planeie a sua viagem escolhendo rotas alternativas. Use o Waze antes de rumar a um destino. Veja como está o percurso que tenciona fazer, e fica logo a saber se há ‘crises’ pelo meio, simule o caminho para ver o que o Waze (ou outro semelhante) lhe aconselha. Pode mesmo fazer contas antecipadamente e perceber se uma portagem faz sentido, se conseguir poupar-lhe muito o consumo. Acontece muitas vezes, ganha no consumo e na rapidez.

7 – Utilize ar condicionado e aquecimento apenas quando estritamente necessário, uma vez que ambos aumentam significativamente o consumo de combustível.

8 – Evite transportar peso completamente desnecessário no seu carro. Qualquer peso mais, mesmo que pequeno, faz diferença no consumo. E abasteça com o tempo o mais fresco possível, pois com as temperaturas mais baixas, o combustível fica mais denso o que, na prática significa colocar mais combustível por menos dinheiro. A diferença é pouca, mas não se esqueça que vai lá muitas vezes…

9 – Verifique regularmente a pressão dos pneus. Se o tempo estiver seco, ter os pneus cheios um pouco acima do recomendado pelo fabricante, poupa-lhe combustível, pois há menos atrito dos pneus com o asfalto, mas tenha atenção que o carro fica um pouco mais ‘saltitante’, especialmente se exagerar na pressão, o que lhe pode trazer outros problemas se não tiver tanto cuidado na condução.

Pressão abaixo do recomendado, não é recomendável, mas se for um pouco abaixo,fica com mais aderência na estrada seca. Evite, também porque consome mais combustível.

Cada 10 psi de sub-inflação aumenta o consumo de combustível em 1%.

10 – Quando faz percursos de estrada com algum sobe e desce, o que fazer? Simples. Sempre que o carro for começar a descer, um pouco antes, tire o pé e deixe-o rolar engatado. Gasta zero. não vá é demasiado perto do carro à sua frente, dê algum espaço antes do começo da descida, para poder ganhar tempo e distância com o carro embalado a consumir zero.

Mas como tem de fazer o percurso de volta para casa, e apanhar logicamente, as subidas, embale o carro na zona plana o suficiente (mesmo tendo que acelerar bem) para chegar sem esforço ao topo da subida. Se o carro perder embalo a subir, vai ter que esforçar o motor muito mais do que seria expectável e esse esforço é o pior que pode fazer ao consumo. O ideal é encontrar o embalo certo para a subida que vai fazer.

De resto, sempre que puder, em zonas planas, tire o pé e deixe o embalo levar o carro, mas nunca deixe cair muito a rotação senão com o esforço gasta mais combustível.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)