Type 135: Lotus aposta no mercado dos automóveis desportivos elétricos
Comprar um SUV ou Hatchback?

Lotus atualiza a ordem de trabalhos com novos detalhes sobre o Eletre

By on 25 Outubro, 2022

Numa conferência emitida online, a Lotus revelou muitas das coisas que tem andado a fazer nos últimos meses e em que fase de desenvolvimento se encontra o Eletre.

Com o objetivo de atualizar clientes, imprensa e todos os que tiverem curiosidade sobre o tema, a Lotus Cars organizou um evento online nas suas novas instalações de Frankfurt em que aproveitou para “libertar o futuro”, mas também para transmitir diversas novas informações sobre o seu primeiro automóvel de quatro portas, que é também o seu primeiro SUV e o segundo modelo totalmente elétrico (depois do Evija).

A Lotus Cars continua a sua transformação, de uma empresa de automóveis desportivos do Reino Unido para uma marca global de automóveis de prestações elevadas. E neste caso, o seu porta-estandarte é o novo Eletre. Um SUV totalmente elétrico com mais de cinco metros de comprimento e dois de largura, que pretende ser a mais desportiva de todas deste género no mercado.

Para que isso aconteça, a Lotus aposta numa gama com três versões (Eletre, Eletre S e Eletre R), todas elas equipadas com dois motores elétricos e com dois patamares de potência. Nas duas versões iniciais, a potência do sistema de relação única é de 603 cavalos, o binário chega aos 710 Nm e a autonomia máxima declarada aponta para os 600 quilómetros. Com a versão R está incluído um sistema com duas relações e que consegue uma potência máxima de 905 cavalos e um binário de 985 Nm. Com esta opção, os valores anunciados para a aceleração dos 0 aos 100 km/h são de 2,95 segundos e a velocidade máxima é de 265 km/h, mas a autonomia fica pelos 490 quilómetros.

Para o habitáculo, a Lotus promete uma experiência de utilização inovadora no Eletre, com uma interface com conteúdo tridimensional em tempo real, que é alimentado por dois processadores Qualcomm 8155. Além disso, para o Eletre, foi também desenvolvido um sistema de som de gama elevada, da autoria da KEF Premium Audio e que inclui 15 altifalantes, um amplificador de 1.380 watts e uma experiência imersiva com Dobly Atmos. Tudo controlado através de um monitor central tátil OLED de 15,1 polegadas, que está preparado para espelhar o conteúdo do telefone através de Apple CarPlay e Android Auto.

Uma vez que se trata de um Lotus, muitos dos seus clientes vão certamente exigir uma dinâmica bastante apurada. Por essa razão, a equipa de desenvolvimento tem passado os últimos tempos em Nürburg, com o objetivo de aceder várias vezes ao traçado do Nordschleife e afinar este capítulo da melhor forma possível. Na especificação base (no Reino Unido), o Eletre inclui cinco modos de condução e suspensão pneumática, mas também um sistema de vectorização de binário, um sistema de iluminação LED Matrix, grelha dianteira ativa e jantes de liga leve de 22 polegadas com dez braços.

No que diz respeito a preços e à disponibilidade deste modelo, a península ibérica continua a ser esquecida, tal como todo o leste europeu, uma vez que, além do Reino Unido, as primeiras informações do Lotus Eletre para o “mercado europeu” referem apenas a Alemanha, os Países Baixos, Bélgica, França, Itália, Noruega, Suécia e Suíça. E neste caso, o preço base em euros da versão de acesso à gama começa um pouco abaixo da fasquia dos 100 mil euros. A versão S fica próxima dos 125 mil e a de topo, a R, já fica acima dos 150 mil euros.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)