Renault Scenic E-Tech: Conheça os preços
Renault Captur: Primeiras impressões

Renault Rafale: Primeiras impressões

By on 30 Maio, 2024

O Automais esteve na região de Huelva, a convite da Renault, para experimentar pela primeira vez o novíssimo Rafale, ficando com as primeiras impressões desta proposta que foi lançada em junho do ano passado no Paris Air Show, em Le Bourget.

Primeiras impressões

À chegada ao local onde se encontravam as unidades para ensaio, as linhas vincadas do Rafale destacaram-se. A grelha proeminente dá mais imponência ao carro, que possui linhas modernas e agradáveis, num conjunto que irá destacar-se na estrada, especialmente na cor certa. No interior, absolutamente nada a apontar. Apesar de ser um interior já conhecido de outras propostas, dão uma sensação de qualidade, quer pelo toque do material, quer pela sensação visual. Os bancos elétricos, permitem encontrar a posição de condução de forma fácil e rápida. O espaço é muito generoso, à frente e atrás e o conforto dos bancos, apesar de terem uma sensação firme, antecipam viagens longas, sem qualquer tipo de preocupação.

Os primeiros quilómetros foram feitos em Sevilha, com o trânsito da cidade a colocar à prova o sistema híbrido da Renault. A suavidade da entrega e o tempo passado em modo 100% elétrico comprovam a eficiência da unidade motriz. Sendo esta a versão Esprit Alpine, o 4Control Advanced é uma ajuda bem-vinda nas manobras mais exigente e no trânsito, com uma agilidade surpreendente para um carro com proporções já consideráveis. Apesar de ser um SUV desportivo, revelou-se num excelente aliado para enfrentar o trânsito moderado que encontramos.

Seguiu-se um trajeto por autoestrada que, devido a um engano na navegação (sem culpas para o sistema GPS), levou a um período de condução a velocidades mais elevadas. Dado o atraso que isso provocou, foi necessário explorar um pouco mais da unidade motriz. O motor é mais que capaz de lidar com a exigência, apesar de denotar alguma hesitação no momento da aceleração, especialmente quando é preciso uma dose mais vigorosa de potência, quando seguimos a velocidades mais baixas. A aceleração não é estonteante, mas é suficiente para despachar as ultrapassagens com prontidão.

Tivemos um pequeno percurso por terra batida, algo acidentada, que o Rafale acabou por resolver com bravura. Um excesso mal calculado acabou por não resultar em danos ou desilusões maiores. O Rafale não foi pensado para uma utilização mais aventureira, mas, colocado à prova, mostrou que tem a robustez necessária.

No final do primeiro dia de ensaio, acabamos com uma média de 7,4l/100km, o que nos pareceu algo elevado, especialmente comparado o Espace e o Austral, com o qual conseguimos fazer médias melhores. No segundo dia, e sem enganos no GPS a exigirem mais do motor, acabamos com uma média de 6,8l/100km, mais de acordo com o que se espera desta unidade.

Um best of by Renault

O Rafale é uma boa proposta. Foi uma pena que a Renault não tenha apostado em algo mais agressivo ou disruptivo até para o seu topo de gama. O nome Rafale merecia algo diferente e este D-SUV acaba por ser uma espécie de best of da marca, com êxitos já conhecidos, o que retira alguma força ao primeiro contacto. Entende-se a aposta na Renault no segmento D, que de 2019 a 2023 subiu de 14 para 16% no mercado europeu. Já em Portugal, a tendência parece ser contrária, com uma queda de 15 para 13% de 2020 a 2023.

O Rafale mantém todos os pontos fortes que a Renault tem evidenciado, dando-lhe ainda mais ênfase, o que resulta num carro que lhe apresentará muitos argumentos fortes se quiser apostar num veículo do Segmento D. A eficiência do motor, o sistema 4Control, o OpenR Link, o Solarbay, o conforto e até os consumos (apesar de neste primeiro contacto não terem sido tão interessantes quanto o esperado), têm de colocar o Rafale no topo da lista para interessados num carro deste género.

Numa primeira fase, estarão disponíveis as versões Techno (a partir de 45.500€) e Esprit Alpine ( a partir de 50.000€). O modelo de 200 cv poderá começar a ser entregue a partir do verão de 2024. Numa segunda fase, além das versões acima mencionadas, teremos a entrada no mercado da versão de 300 CV, de tração integral, disponível no outono de 2024 nas versões Esprit Alpine e Atelier Alpine.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)