Peugeot 3008 e E-3008: Conheça este importante novo capítulo
Peugeot E-5008: Autonomia de até 660 km para sete lugares

Peugeot i-Cockpit está a completar os seus primeiros dez anos de existência

By on 17 Março, 2023

Modificando por completo a experiência de condução dos modelos da Peugeot é uma daquelas soluções que se ama ou se detesta, mas a verdade é que já faz parte de toda a gama da Peugeot e está a completar o seu 10º aniversário.

Há mais de 10 anos, com a primeira geração do Peugeot 208, a marca francesa ousou revolucionar um dos elementos que menos evoluções registou na história do automóvel: a posição de condução. Desde então foram produzidos quase dez milhões de unidades e o i-Cockpit viu-se alargado a toda a gama de modelos, comprovando a sua excelência na melhoria da emoção, segurança e conforto de condutores e passageiros, tornando-se numa característica distintiva dos automóveis Peugeot.

O conceito do i-Cockpit foi criado assente em três elementos fundamentais, que se têm mantido inalterados desde então: um volante compacto para uma melhor sensação de condução e um controlo otimizado; um painel de instrumentos elevado, que permite ao condutor visualizar todas as informações relacionadas com a condução, mantendo, ao mesmo tempo, os olhos na estrada; um grande ecrã tátil central, de fácil alcance e visualização, que permite ao condutor gerir as principais funções do automóvel.

O i-Cockpit tornou-se numa característica de “assinatura” de cada veículo Peugeot. Pode hoje ser encontrado em todos os modelos e é também uma história de sucesso. Essa história teve início em 2010 com a apresentação do concept Peugeot SR1 no Salão Automóvel de Genebra, um elegante coupé-cabriolet que ilustrou parte do pensamento da Marca. Incluía uma posição de condução revolucionária, que transformou por completo os tradicionais códigos de design e de ergonomia.

Nessa altura, as equipas Peugeot procuravam desenvolver o lugar do condutor para proporcionar um maior número de emoções a bordo, uma melhor ergonomia, bem como mais segurança. Uma equipa reduzida de designers e de engenheiros começou a trabalhar no projeto, sendo que rapidamente surgiu uma proposta de um volante mais pequeno em dimensões. Até então, os volantes dos automóveis eram grandes, lendo-se através dele as informações do painel de instrumentos. O raciocínio por detrás desta solução era que este posicionamento convencional do visor e do volante provocava distrações. A melhor posição para a leitura da informação encontrava-se ao nível dos olhos, pelo que a informação tinha de ser colocada ao nível da visão. Este novo posicionamento, em combinação com um volante mais pequeno, deu origem a um sistema inteiramente novo, com um visor que passou a ser conhecido como head-up display. Foi, também, adicionado um ecrã tátil, o qual tornou todos os comandos muito mais simples e proporcionou uma maior conectividade. Este foi o início dos ecrãs táteis Peugeot.

Os desafios eram grandes para a Marca, pois estávamos a assumir um risco calculado ao comprometermo-nos com um conceito tão invulgar e inovador. Acima de tudo, tínhamos de nos certificar de que os nossos clientes gostavam do conceito. Organizámos testes num circuito com clientes franceses e alemães. Pusemo-los a conduzir um automóvel com um volante e painel de instrumentos convencionais e depois colocámo-los no protótipo com este novo volante e este novo ‘head-up display’. O ‘feedback’ foi excelente, muito qualitativo. Os mais jovens apreciaram o carácter desportivo, enquanto os mais velhos sentiram que a condução era ágil, moderna e que representava uma mudança em relação ao passado. Todos se renderam ao pequeno volante com grande facilidade. Estávamos absolutamente convencidos de que tínhamos conseguido algo único“.

Jérôme Micheron, Diretor de Produto da Peugeot

Em 2012, o Peugeot 208 exibiu orgulhosamente o i-Cockpit e motivou, assim, uma revolução. A primeira geração do Peugeot 208 causou um grande alvoroço ao introduzir o i-Cockpit de série. Estabeleceu-se rapidamente como uma inovação que transformou a experiência do condutor, através de: um maior prazer de condução: graças ao volante compacto, o automóvel é ainda mais ágil a responder aos movimentos do condutor, que também precisa de mover menos os braços para efetuar uma mesma manobra; mais conforto de condução: com os instrumentos no campo de visão, verifica-se uma menor tensão ocular. O volante em posição inferior permite que os braços do condutor se posicionem em ângulos mais confortáveis, enquanto o ecrã tátil central permite um comando intuitivo das principais funções do veículo; segurança otimizada: o volante compacto torna as reações mais rápidas e o head-up display permite que os olhos permaneçam focados na estrada, tornando os alertas mais visíveis. Tudo isto reduz a fadiga do condutor, aumentando, por conseguinte, a segurança; design único: tecnológico e requintado, melhora a experiência de condução.

Em constante evolução para melhor se adaptar às necessidades dos clientes. Desde o seu lançamento, o Peugeot i-Cockpit tem continuado a evoluir e a modernizar-se. Em 2016, a segunda geração dos Peugeot 3008 e Peugeot 5008 apresentou-se com uma versão com um ecrã digital de 12,3 polegadas, podendo ser totalmente adaptado e personalizado, surgindo botões do tipo “tecla de piano” colocados sob o ecrã tátil central, para facilitar, ainda mais, o acesso às funções essenciais. Em 2019, o Peugeot 208 de segunda geração introduziria um painel de instrumentos digital 3D.

O Peugeot i-Cockpit daria, depois, novo passo em frente com os novos Peugeot 308 (2021) e 408 (2022), com a introdução do novo sistema de infotainment i-Connect, um novo volante compacto, capaz de detetar a presença das mãos do condutor ao utilizar as  assistências à condução, e também i-toggles sensíveis ao toque, que podem ser configurados para as funções de ar condicionado, contatos telefónicos, definições de rádio e das aplicações, etc., podendo tudo isto ser definido de acordo com as preferências dos utilizadores.

O i-Cockpit da Peugeot ainda não terminou a sua evolução. A história do i-Cockpit da Peugeot está ainda na sua infância, “O i-Cockpit deve permanecer sempre intuitivo, dinâmico e icónico: é este um dos nossos objetivos. A Peugeot tem sido precursora neste campo, pelo que nos cabe continuar a definir o caminho para uma cada vez maior inovação e inventividade, a fim de nos mantermos um passo à frente e permanecermos icónicos. Trata-se de uma renovação constante para continuar a surpreender e a permanecer ao mais alto nível. Uma coisa sabemos com certeza: o i-Cockpit tem um futuro brilhante”, comentou Bertrand Rapatel, Diretor de Design de Interiores da Peugeot.

Apresentado no CES em Las Vegas no início deste ano, o concept Peugeot Inception, demonstra a evolução que o novo i-Cockpit da Peugeot poderia vir a ter, assumindo-se ainda mais intuitivo e mostrando a evolução futura do i-Cockpit com o Hypersquare, um novo controlo de direção revolucionário, que oferece novos gestos para uma nova geração, assente em tablets e dispositivos inteligentes.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)